quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Sobre o Especial

Gosto muito de ler comentários polêmicos aqui no blog sobre shows, Cds, músicas novas, especiais de TV. Sempre estou atento a isso pois é daí que procuro tirar minhas conclusões, inclusive, muitas vêzes mudando minhas opiniões enriquecendo assim as criações artísticas sob minha responsabilidade.
Um comentário no post anterior de um(a) anonimo(a) fala sobre a química entre cantores que se apresentam em duetos, seja em shows ou gravações e muitas vêzes, segundo o comentário, não "rolam", com o que concordo plenamente. Claro que essa apreciação tambem depende muito do gosto pessoal de cada comentarista mas certos duetos realmente não conseguem a química que se espera. Não sei se foi o caso do RC e o então Ministro Gil, no Especial do ano passado. Seja como for, as tentativas devem ser feitas, principalmente num programa de TV que já tem a tradição de provocar esses encontros, os quais, posso garantir, são desejados pelos artistas e nisso até eu me incluo e me sinto no direito de, como artista que sou com Cds bem sucedidos, participar como convidado num Especial do RC...apenas, ainda não chegou a minha hora.
Bem, esse ano (hoje) teremos como convidados Zezé di Camargo e Luciano, Neguinho da Beija Flor com a bateria da Escola, Rita Lee e Caetano Veloso.
Tenho dito sempre que "esse especial promete"....espero muito que ele cumpra.
O(a) anonimo(a), no post anterior, cita como improvável a química entre o Roberto e a Rita Lee, já que, segundo ele, Roberto é um "deprê" e a Rita com toda aquela irreverencia....sei lá....
Eu não entendo como se pode chamar de "deprê" um artista como o Roberto, que se propõe a cantar um samba enredo de uma escola acompanhado da bateria da mesma escola e do próprio "puxador" do samba na Avenida que é o "Neguinho da Beija Flor".
Um artista que reune em seu programa além dele próprio, fruto da Jovem Guarda, um Caetano vindo do Tropicalismo, uma Rita Lee do Rock brasileiro, um Zezé e Luciano
, sertanejos dos mais importantes, e Neguinho da Beija Flor e bateria, frutos da maior expressão popular artística do Brasil, o carnaval....esse cara é "deprê" ?
Acho que não, ou quem sabe o prezado(a) anonimo(a)está confundindo romantismo com depressão. Diz-se que Roberto Carlos é o cara que melhor expressa com palavras a essência do verdadeiro amor. A depressão que pode ter advinda da perda de um ente querido não deve ser tomada como referência artística.
Para terminar, eu gostei muito do show do Roberto e Caetano. Talvez não tenha sido bem mostrado pela TV. Aliás, ele não foi concebido para ser um programa de TV e sim para um concerto em homenagem ao mais importante compositor brasileiro, Tom Jobim.
Assim que puder volto para debatermos os acertos e desacertos do especial que será gravado hoje à noite na Arena HSBC
Abraço a todos
Eduardo