terça-feira, 1 de abril de 2008

Crescendo profissionalmente...

Estou aprendendo a fazer melhores arranjos refletindo sobre os comentários inteligentes postados aqui no blog, aliás, essa era a minha intenção quando resolví montar isso sem muita sofisticação. Conhecer opiniões isentas(apesar de educadas)de pessoas, na maioria delas desconhecidas, sobre o meu trabalho é gratificante. Nós arranjadores, quase sempre fomos coadjuvantes na música, expostos muitas vêzes às exigências dos protagonistas, aqueles que realmente aparecem para a mídia, muitas vêzes nos tornamos "mágicos" ou "apostadores" na ansia de adivinhar as expectativas dos intérpretes os quais, em sua maioria, inexperientes no trato com uma orquestra. Foi issso, por exemplo, que me levou a trabalhar com o Roberto Carlos, um cantor que além do seu conhecido talento na forma de cantar e compor, é dono de uma intuição extrordinária e uma grande inteligência que lhe permite estabelecer os seu limites como músico, ou seja, exige que suas expectativas sejam correspondidas mas aceita um algo mais que o profissional pode lhe dar contanto que êsse "algo mais" acrescente alguma coisa ao grande ingrediente de sua música, a emoção.
Quantas vêzes fiz arranjos para cantores de músicas que nem ao menos tinham uma sinopse de letra ...quantas vêzes gravei arranjos(isso ocorre muito)pra cantores que nem estavam no estúdio e muitos deles nem cheguei a conhecer pessoalmente...
Um assunto que pretendo esclarecer aqui é uma coisa que a maioria das pessoas não sabe e tem vergonha de perguntar; o que é um arranjo? ...pra que serve uma maestro? ...pra que serve uma batuta?...Muitos amigos próximos meus não sabem.
Bem, para aqueles que citam a musica "Costumes " como uma música perfeita, quero lhes dizer que penso em gravá-la no próximo CD se os autores RC e Erasmo autorizarem.
Muito bom esse papo de música perfeita...
Breve quero falar de "arranjo perfeito" ...disso eu entendo apesar de não ter feito nenhum ainda mas acho que depois de ler tão bons comentários como os que voces fazem aqui, estou perto disso

Abração a todos
Eduardo Lages