terça-feira, 3 de julho de 2007

Release


Eduardo Lages começou a estudar piano clássico com quatro anos de idade. Aos treze, numa brincadeira de criança, sofreu um pequeno acidente que atingiu um tendão da mão esquerda, prejudicando a movimentação de um dos dedos. Teve que interromper os estudos de música clássica. Foi quando começou e se interessar pela música popular e acabou por fundar um grupo de twist inspirado nas performances de Chubby Checker. Nessa época, ele começou a tocar na noite, sempre se escondendo quando recebia o aviso da chegada do Juizado de Menores. “Até hoje adoro clássico, motivo do uso acentuado de cordas nos meus arranjos”, conclui.

Eram tempos bicudos, em que tinha que trabalhar em várias frentes para se manter. Um exemplo disso era que tocava órgão na missa dos domingos à tarde numa igreja católica em Niterói, e de lá saía correndo para tocar piano num cabaré mal afamado, “de terceira categoria, na Zona”, como relembra em sonora gargalhada. Os jingles eram outra opção de grana também.

A etapa seguinte foi a sua participação em vários festivais de música. No FIC – Festival Internacional da Canção, da TV Globo, em 1969, sua música “Razão de Paz Para Não Cantar” (em parceria com o falecido Alésio Barros), defendida pela cantora Claudia, foi classificada em 4º lugar. Meses depois, defendendo o Brasil, essa mesma canção, ainda na interpretação da Claudia, arrebataria o primeiro lugar num festival internacional no México.

As coisas começaram a melhorar quando se envolveu com a turma do MAU – Movimento Artístico Universitário, que tinha entre os seus integrantes Ivan Lins, Gonzaguinha, Aldir Blanc, César Costa Filho e Lucinha Lins, e se reuniam na Tijuca. Foram convidados, pela TV Globo, para apresentar o “Som Livre Exportação”. O musical teve duração de um ano e ele era o arranjador. Ao final do contrato, Eduardo Lages foi contratado como arranjador pela emissora. Foram 20 anos de convivência, onde ele fez a direção musical do Fantástico e do Globo de Ouro como arranjador e maestro.

Nos anos de 1976 e 77, Eduardo Lages, ao piano, foi atração de uma das casas mais badaladas da noite carioca, o Chiko’s Bar, onde revezava com o ídolo Luizinho Eça, para deleite dos notívagos e apreciadores da boa música.

O meu amigo, Roberto Carlos

Foi em 1977 que começou a sua relação musical e quase fraterna com Roberto Carlos. Às vésperas da estréia do Roberto no Canecão, com o show em que o maior astro da música brasileira aparecia travestido de palhaço, emocionando a platéia na interpretação de “O show já terminou”, ele foi convidado a participar como maestro. Dessa simbiose resultaram apresentações por toda a América do Sul, Central e do Norte, incluindo o Canadá; Portugal, Espanha, Itália e França, na Europa.
“Tudo mudou na minha vida. Passei a me encantar com trabalho do artista Roberto Carlos. Passei a viajar o Brasil e o mundo com ele”. E numa confidência, ele entrega: ““Olha” é a música que mais gosto de Roberto e Erasmo que selecionei para este CD”.


Quatorze anos depois de estar ligado musicalmente ao Roberto Carlos, Eduardo Lages foi obrigado a romper o contrato com a TV Globo, pois não conseguia mais conciliar o trabalho com a emissora e o maior artista da música brasileira. Apesar disso, Eduardo participou de 29 especiais do Roberto Carlos naquela emissora, como arranjador e regente.


Desenvolvimento de sites

4 comentários:

James disse...

Eduardo Lages, não sei se é você mesmo quem escreve isso. Vim dizer-te uma coisa. Sou teu fã há muito tempo, e claro, fã do Roberto. Rapaz, se eu estiver entrando em contato com você mesmo, você não sabe o quanto me sentirei feliz. Te um cara que é amigo seu e é meu amigo também. O nome dele é Vinícius Faustinni.
Bom, mas eu vim dizer uma coisa, eu tenho um flog que faço para o Roberto. E de vez em quando eu faço umas séries por lá, como fiz por exemplo a série Celebridades, que mostra fotos dele com outros artistas. Em agosto quero fazer uma série que comemore os 30 anos que vc trabalha com ele, sendo portanto uma série em sua homenagem. Queria portanto ter uma entrevista com vc, será que dá certo?? Nossa, eu tenho muita coisa pra te dizer, Eduardo. Mas assim num comentário não dá, então sempre visitarei seu blog. Abraços
James Lima

Everaldo Farias disse...

Eduardo, nem preciso dizer o quanto sou teu fã e como fico feliz em saber que agora você tem um blog, um espaço pra nos dedicarmos a acompanharmos e sempre mandarmos energias maravilhosas a você que tanto contribui conosco através dessas teclas maravilhosas!

Anônimo disse...

Parabéns Eduardo Lages! Também sou teu fã! Magníficos os teus 2 Cds! Vamos aguardar teu novo trabalho!
Abraços
Kevork

Cristiano disse...

Eduardo, parabéns pelo blog. Espero que você venha fazer show de lançamento aqui em Fortaleza, o fã clube Aplauso te espera com todo carinho. Um grande abraço, Cristiano Bessa.